Portal do Governo Brasileiro

Eletrônica Digital TAI

Material de apoio

Apostila de Eletrônica Digital

Plano de Curso

Ementa

Conceito de Sinal Digital; Sistema de Numeração e Codificação: Binário, Decimal, Hexadecimal e BCD; Portas Lógicas, Álgebra Booleana, Circuitos Lógicos Combinacionais: Multiplexador, Demultiplexador, Codificador, Decodificador; Conversores D/A e A/D: Aplicações, Resolução e Escala; Circuitos Lógicos Sequenciais: Flip-Flop’s, Registradores, Contadores, Memórias.

Justificativa do Componente Curricular:
Os circuitos e sistemas digitais fazem parte de praticamente todos os processos e sistemas de controle encontrados na indústria. Seu conhecimento é fundamental para o domínio de muitos sistemas de automação e controle, servindo ainda como base para o correto aprendizado da eletrônica moderna, aplicada à indústria, instrumentação, automação e controle, robótica e eletrônica embarcada dentre outras.

Objetivos
Objetivo Geral

Desenvolver competências e habilidades teóricas e práticas relativas a montagens de circuitos eletrônicos digitais e a compreensão de seu funcionamento.

Objetivos Específicos
• Entendimento dos sinais analógicos e digitais e a conversão entre estes;
• Familiarizar-se com os princípios de sistemas numéricos e bases;
• Compreender e aplicar os princípios de álgebra e lógica booleana;
• Conhecer e identificar os principais componentes de circuitos lógicos digitais;
• Conhecer as técnicas de análise e síntese de circuitos lógicos digitais;
• Conhecer os conceitos de memórias semicondutoras.

Conteúdo Programático:
• Apresentação do plano de ensino e Introdução aos Sistemas Digitais. 1 encontro.
• Conceito de Sinal Digital e Sistemas de Numeração. 1 encontro.
• Portas Lógicas. 1 encontro.
• Álgebra Booleana. 1 encontro.
• Lista de exercícios 1 (N1). 1 encontro.
• Circuitos Lógicos Combinacionais. 1 encontro.
• Multiplexador. 1 encontro.
• Demultiplexador. 1 encontro.
• Codificador. 1 encontro.
• Decodificador. 1 encontro.
• Conversores D/A e A/D:Aplicações, Resolução e Escala. 1 encontro.
• Lista de exercícios 2 (N2). 1 encontro.
• Circuitos Lógicos Sequenciais: Flip-Flop’s. 1 encontro.
• Registradores. 1 encontro.
• Contadores. 1 encontro.
• Memórias. 1 encontro.
• Lista de exercícios 3 (N3). 1 encontro.
• Recuperação de conteúdos e notas. 1 encontro.

Metodologia
As aulas serão conduzidas de maneira expositiva com foco no diálogo e na discussão de cada um dos temas. Serão realizados exercícios teóricos e práticos bem como atividades individuais e em grupo. O principal foco do desenvolvimento do conhecimento será através da resolução de problemas e exercícios para cada um dos assuntos abordados e da colaboração coletiva.
As Atividades de ensino remotas serão ofertadas de acordo com as resoluções vigentes e períodos autorizados.

Procedimentos de Avaliação
As avaliações serão realizadas através da realização de 3 listas de exercícios (N1, N2 e N3). A nota final (Nf) é calculada da seguinte forma.

Nf = (N1 + N2 + N3) / 3.

Sistema de avaliação: instrumentos e valores, conforme Resolução 084/CONSUPER.

Recuperação paralela
É garantido ao aluno atividades de recuperação de estudos, nos componentes curriculares em que não atingir rendimento suficiente no decorrer do período letivo. Considera-se aqui, rendimento insuficiente, nota abaixo de 7,0 (sete vírgula zero) mensurada através de instrumentos avaliativos.
A recuperação de estudos encontra amparo legal no art. 24, inciso V, alínea e, da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB 9.394/96: “Obrigatoriedade de estudos de recuperação, de preferência paralelos ao período letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas instituições de ensino em seus regimentos.”
Com efeito, a recuperação visa o aperfeiçoamento da aprendizagem e não apenas do alcance da média, ou seja, a prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, consoante dita o art. 24 da LDB 9.394/96, inciso V, alínea a, ao tratar dos critérios a serem observados na verificação do rendimento escolar: “avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais.”
A recuperação de conteúdos, bem como a recuperação de avaliação (nota) são obrigatórias. A recuperação de conteúdos deverá ser realizada ao longo do ano letivo de forma paralela para todos os estudantes que apresentarem fragilidades de aprendizagem.
A metodologia de recuperação de notas empregada pelo campus deverá respeitar a Resolução 084/2014 do CONSUPER/IFC. Assim, a frequência das reavaliações deverá ser única, ao final do trimestre. – Exame Final – Art. 70 e Art. 71 da RESOLUÇÃO Nº 084 – CONSUPER/2014


Exame Final – Art. 70 e Art. 71 da RESOLUÇÃO Nº 084 – CONSUPER/2014:
Considerar-se-á aprovado para o ano seguinte o estudante que tiver frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) considerando a carga horária total do curso e alcançar Média Anual igual ou superior a 7,0 (sete vírgula zero) em cada componente curricular. A Média Anual (MA) será a média das notas finais de cada trimestre.

O estudante que atingir Média Anual (MA) inferior a 7,0 (sete vírgula zero) terá direito à recuperação de nota (Exame Final). A recuperação de notas (Exame Final) é uma avaliação composta por todo o conteúdo ministrado no ano de cada componente curricular, que tenha sido devidamente recuperado em termos de aprendizagem, e tem por objetivo recuperar as notas dos estudantes que não obtiveram aproveitamento igual ou superior a 7,0 (sete vírgula zero) em cada componente curricular.

O aluno em exame será aprovado no componente curricular, quando a Média Final (MF) for igual ou superior a 5,0 (cinco vírgula zero), calculada da seguinte forma:
MF = NE x 0,4 + MA x 0,6, sendo
MF = MÉDIA FINAL,
NE = NOTA EXAME,
MA = MÉDIA ANUAL.

Para o cálculo da média final (MF), leva-se em consideração que a avaliação do desempenho do estudante deve ser contínua e cumulativa, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre as eventuais provas finais.
As recuperações de notas (Exames Finais), arquivadas na Coordenação de Registros Acadêmicos, só podem ser revisadas através de solicitação do estudante, em formulário próprio.


Bibliografia básica:
IDOETA, Ivan V.; CAPUANO, Francisco G. Elementos de eletrônica digital. 40a ed. São Paulo: Érica, 2011.
TOCCI, Ronald J; WIDMER, Neal S; MOSS, Gregory L. Sistemas digitais: princípios e aplicações. 11a ed. São Paulo: Pearson, 2011.
LOURENÇO A. C. Circuitos Digitais – Use e Estude. 9ª Edição. Ed. Érica. 2009.


Bibliografia complementar:
GARUE, Sergio. Eletrônica digital: circuitos e tecnologias LSI e VLSI. São Paulo, SP: Hemus, 19??.
PEDRONI, Volnei A. Eletrônica digital moderna e VHDL. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier, 2010.
BIGNELL, James; DONOVAN, Robert. Eletrônica digital. São Paulo: Cencage Learning, 2010.
MALVINO, Albert Paul; LEACH, Donald P. Eletrônica digital: princípios e aplicações. São Paulo: McGraw – Hill, c1988. 2 v.
GARCIA, Paulo Alves; MARTINI, José Sidnei Colombo. Eletrônica digital: teoria e laboratório. 2. ed. São Paulo: Érica, 2008. 182 p.